Habitats

Habitats
Habitats do Parque Natural de Sintra-Cascais.

Matos com sabina da praia - MM
Matos com sabina-das-praias Juniperus turbinata (® Manuela Marcelino).

A conservação das espécies autóctones é condição indispensável para a preservação da biodiversidade, objetivo da “Diretiva Habitats”.

O território português caracteriza-se por uma marcada diversidade de paisagens, mais ou menos humanizadas, nas quais se podem individualizar múltiplos habitats.

Esta diversidade é o resultado da ocorrência, em épocas geológicas passadas, de variações climáticas com abrangências parciais do território e por outro lado, em termos contemporâneos, é derivada da existência de uma acentuada variabilidade geológica, edáfica, climática, hidrológica, geomorfológica, e biológica, modelada ainda por uma ancestral e intensa ação humana, exercida sobre o meio biofísico.

Para além do papel que um dado habitat desempenha no ecossistema a nível dos ciclos geo-fisico-químicos da água, ar, e solo, indispensáveis à manutenção das condições adequadas à vida, constitui a base de que depende todo um conjunto mais ou menos alargado de seres vivos e um leque complexo de relações interdependentes.

A conservação da enorme variabilidade de habitats existente no nosso país, bem como a sua manutenção em boas condições de funcionamento assumem importância vital não só para a preservação da biodiversidade, mas também e fundamentalmente, para a manutenção de condições de vida adequadas para a própria espécie humana.

A grande heterogeneidade do Parque Natural de Sintra-Cascais permite que aqui ocorram habitats que, em território europeu, são considerados prioritários para a conservação - dunas fixas com vegetação herbácea “dunas cinzentas”, dunas litorais com Juniperus spp., dunas com florestas de Pinus pinea e/ou Pinus pinaster -, habitats considerados especiais para a conservação – arribas com vegetação das costas mediterrânicas com Limonium spp. endémicas, dunas móveis embrionárias, dunas móveis do cordão litoral com Ammophila arenaria “dunas brancas”, dunas com vegetação esclerófila da Cisto-Lavenduletalia, cursos de água mediterrânicos permanentes da Paspalo-Agrostidion com cortinas arbóreas ribeirinhas de Salix e Populus alba, cursos de água mediterrânicos intermitentes da Paspalo-Agrostidion, matagais arborescentes de Juniperus spp., vertentes rochosas com vegetação casmofítica, grutas marinhas submersas ou semissubmersas, carvalhais galaico portugueses de Quercus robur e Quercus pyrenaica, carvalhais ibéricos de Quercus faginea e Quercus canariensis, florestas de Quercus suber -, e habitats que embora não estejam incluídos nestas categorias como é o caso dos “prados secos seminaturais e fácies arbustivas em substrato calcário "Festuco-Brometalia” mas em que a que presença de espécies de orquídeas conferem ao habitat um caráter prioritário.

Uma avaliação ecológica, tendo por base dados relativos à geologia, hidrologia e ocupação do solo, foi possível obter uma valorização integrada dos habitats, recorrendo-se à sua classificação em quatro classes:

  • Valor excecional;
  • Valor muito elevado;
  • Valor elevado; e
  • Valor não significativo.

 

Sítios da Rede Natura:

 

Lista de Habitats do "Sítio Sintra - Cascais"

Nota: com * estão assinalados os habitats prioritários

1 Habitats costeiros e vegetação halófila
11 Águas marinhas e meios sob influência das marés

1110 [PDF 243 KB] Bancos de areia permanentemente cobertos por água do mar pouco profunda
1170 [PDF 430 KB] Recifes 
12 Falésias marítimas e praias de calhaus rolados
1210 [PDF 231 KB] Vegetação anual das zonas de acumulação de detritos pela maré
1240 [PDF 329 KB] Falésias com vegetação das costas mediterrânicas com Limonium spp. endémicas
 
2 Dunas marítimas e interiores
21 Dunas marítimas das costas atlânticas, do Mar do Norte e do Báltico
2110 [PDF 224 KB] Dunas móveis embrionárias
2120 [PDF 314 KB] Dunas móveis do cordão dunar com Ammophila arenaria ("dunas brancas")
2130 [PDF 361 KB] Dunas fixas com vegetação herbácea ("dunas cinzentas") *
22 Dunas marítimas das costas mediterrânicas
2230 [PDF 254 KB] Dunas com prados da Malcolmietalia
2250 [PDF 258 KB] Dunas litorais com Juniperus spp *
2260 [PDF 247 KB] Dunas com vegetação esclerófila da Cisto-Lavenduletalia
2270 [PDF 220 KB] Dunas com florestas de Pinus pinea ou Pinus pinaster ssp. atlantica * - ver Anexo [PDF 300 KB] 
 
3 Habitats de água doce
32 Águas correntes – troços de cursos de água com dinâmica natural e seminatural (leitos pequenos, médios e grandes), em que a qualidade da água não sofre mudanças significativas
3280 [PDF 261 KB] Cursos de água mediterrânicos permanentes da Paspalo-Agrostidion com cortinas arbóreas ribeirinhas de Salix e Populus alba
3290 [PDF 270 KB] Cursos de água mediterrânicos intermitentes da Paspalo-Agrostidion
 
4 Charnecas e matos das zonas temperadas
4030 [PDF 464 KB] Charnecas secas europeias

5 Matos esclerófilos
52 Matagais arborescentes mediterrânicos
5210 [PDF 277 KB] Matagais arborescentes de Juniperus spp.
5230 [PDF 506 KB] Matagais arborescentes de Laurus nobilis *
53 Matos termomediterrânicos pré-estépicos
5330 [PDF 285 KB] Matos termomediterrânicos pré-desértico
 
6 Formações herbáceas naturais e seminaturais
62 Formações herbáceas secas seminaturais e fácies arbustivas
6210 [PDF 310 KB] Prados secos seminaturais e fácies arbustivas em substrato calcário (Festuco-Brometalia) (*importantes habitats de orquídeas)
64 Pradarias húmidas seminaturais de ervas altas
6420 [PDF 247 KB] Pradarias húmidas mediterrânicas de ervas altas da Molinio-Holoschoenion

8 Habitats rochosos e grutas
82 Vertentes rochosas com vegetação casmofítica
8220 [PDF 242 KB] Vertentes rochosas siliciosas com vegetação casmofítica
83 Outros habitats rochosos
8330 [PDF 261 KB] Grutas marinhas submersas ou semissubmersas

9 Florestas
92 Florestas mediterrânicas caducifólias:
9230 [PDF 308 KB] Carvalhais galaico-portugueses de Quercus robur e Quercus pyrenaica
9240 [PDF 265 KB] Carvalhais ibéricos de Quercus faginea e Quercus canariensis 
92A0 [PDF 270 KB] Florestas-galeria de Salix alba e Populus alba
92D0 [PDF 269 KB] Galerias e matos ribeirinhos meridionais (Nerio-Tamaricetea e Securinegion tinctoriae
93 Florestas esclerófilas mediterrânicas
9330 [PDF 311 KB] Florestas de Quercus suber
9340 [PDF 263 KB] Florestas de Quercus ilex e Quercus rotundifolia

 Topo