Você está aqui: Entrada / ÁREAS PROTEGIDAS / Parques Naturais / Parque Natural do Vale do Guadiana / Classificação | Caracterização

Classificação | Caracterização

Classificação | Caracterização
Porque foi classificado o Parque Natural do Vale do Guadiana. Caracterização e mapa.

PNVG - Pulo do Lobo CGV
Pulo do Lobo (® Cristina Girão Vieira).  

Classificação

O troço médio do vale do Guadiana possui um evidente interesse faunístico, florístico, geomorfológico, paisagístico e histórico-cultural. Estes fatores, conjugados com a circunstância da identidade desta paisagem se encontrar ameaçada pelo progressivo desaparecimento dos sistemas tradicionais de utilização do solo, justificaram a sua classificação, através do Decreto Regulamentar nº 28/95, de 18 de novembro, como forma de salvaguardar os valores existentes e promover o desenvolvimento sustentado da região

 

Caracterização

PNVG - peneplanície - CC
Peneplanície alentejana (® Carlos Carrapato) 

O Parque Natural estende-se por 69.773 ha, abrangendo parte dos concelhos de Mértola e Serpa num troço de rio que se estende desde uma zona a montante do Pulo do Lobo até à foz da ribeira de Vascão, fronteira entre o Alentejo e o Algarve.

De um modo muito simplificado, as diversas unidades paisagísticas estão distribuídas por três grandes estruturas geomorfológicas:

  • as planícies ondulantes, que dominam em área e onde se encontram as culturas extensivas de sequeiro, as áreas de esteval e os montados de azinho;
  • as elevações quartzíticas das serras de São Barão e Alcaria; nesta última encontra-se o ponto mais alto do Parque Natural. Daqui, com apenas 370 m, consegue-se desfrutar de uma magnífica panorâmica sobre o relevo suave da planície alentejana e o enrugado resultante da influência próxima da serra algarvia; e
  • os imponentes vales encaixados do rio Guadiana e seus afluentes, marginados por escarpas e fantásticos matagais mediterrânicos – a formação que mais se aproxima da vegetação original da região, restringida hoje às zonas mais inacessíveis, onde a intervenção humana pouco se faz sentir.


À paisagem árida e agreste de verão sucedem-se os prados verdes no inverno que vão dando lugar a uma explosão de cores com a aproximação da primavera. Subjugado a um regime de torrencialidade, nos verãos mais secos as ribeiras afluentes do Guadiana ficam reduzidas a pegos enquanto que nos invernos mais chuvosos o caudal aumenta significativamente, submergindo por completo, sob um turbilhão de água barrenta, a queda do Pulo do Lobo. Como referência ficará, com certeza, o mês de novembro de 1997, em que o Guadiana subiu cerca de 20 m acima do normal, na vila de Mértola.
 

Mapa

Clique na imagem para ampliar [JPG 275 KB]

PNVG - mapa com legenda

 

PNVG - logotipo

O símbolo do PNVG, muito provavelmente uma ave de presa, elemento muitas vezes ilustrado nos pratos islâmicos desse período, é retirado de um prato vidrado em corda seca do sec.XI. Em Mértola, os valores culturais estão muito relacionados com os naturais, ligação essa que ainda se pode observar em certas atividades atuais caso da pesca, pecuária, agricultura e caça.

Conteúdo relacionado
Contactos Áreas Protegidas
Acções do Documento