Flora

Flora
Flora do Parque Natural do Vale do Guadiana.

Campo florido CGV
Campo florido na primavera  (® Cristina Girão Vieira).

As características peculiares dos cursos de água desta bacia hidrográfica permitiram a formação de unidades florísticas únicas, muitas delas incluídas em diretivas comunitárias de proteção da natureza. Entre as raridades e espécies ameaçadas da flora destaca-se o trevo-de-quatro-folhas-peludo Marsilea batardae que ocorre nas áreas ribeirinhas.

 
Marsilea batardae Trevo-de-quatro-folhas-peludo CC Narcissus fernandesii
Trevo-de-quatro-folhas-peludo Marsilea batardae e Narcissus fernandesii (® Carlos Carrapato).

A vegetação que ladeia os cursos de água é diversificada, sendo as espécies mais características, o tóxico loendro ou cevadilha Nerium oleander, a tamargueira Tamarix africana e o tamujo Securinega tinctoria (ou Flueggea tinctoria).
 
A flora da área do Parque Natural é também bastante rica em plantas aromáticas e medicinais, como o rosmaninho Lavandula stoechas, alecrim Rosmarinus officinalis, erva-ursa Thymus mastichina, murta Myrtus communis, mariola Phlomis purpurea, montraste Mentha suaveolens e poejo Mentha pulegium. Com efeito, a produção de aromas pelas plantas é uma estratégia para evitar a perda de água em dias de calor. A evaporação desses compostos aromáticos cria uma atmosfera saturada em volta da planta diminuindo, assim, a evapotranspiração. Não é por acaso que existem tantas plantas aromáticas no Alentejo!
 
Orchis italica Flor-dos-macaquinhos - CC Ophrys apifera Erva-abelha - CC
Algumas das orquídeas do Parque, a flor-dos-rapazinhos ou dos macaquinhos Orchis italica e a erva-abelha Ophrys apifera (® Carlos Carrapato).