Visitar

Visitar
Visitar o Parque Nacional da Peneda-Gerês. Turismo de Natureza. Percursos. Normas e recomendações. Publicações.

PNPG - Mata da Albergaria
Mata de Albergaria. 

Percursos e itinerários automóvel

Se pretende realizar atividades de lazer nesta área protegida saiba quais são as permitidas e os locais onde as pode realizar. No caso específico do pedestrianismo tenha em atenção o seguinte:

Para usufruto dos visitantes, e como forma de organizar a visitação desta área protegida, existe uma rede de percursos pedestres, constituída por percursos sinalizados e percursos de realização com orientação cartográfica ou GPS. A sua grande maioria pode ser realizada sem necessidade de autorização prévia do PNPG. Tenha, porém, em atenção aqueles que estão identificados como condicionados e as condições para a sua realização:

  • Situado em área de proteção parcial I: Pode ser realizado sem autorização prévia do PNPG por grupos até 10 participantes;
  • Situado em área de proteção parcial II: Pode ser realizado sem autorização prévia do PNPG por grupos até 15 participantes.
     

Qualquer outro percurso que não integre a rede de percursos pedestres do PNPG obedece igualmente a estas condições.

A realização de percursos pedestres em área de proteção total carece sempre de autorização do PNPG, independentemente do número de elementos do grupo, que não poderá exceder, no entanto, os 10 participantes.

 

+ INFO 


A informação contida nestes sítios é da responsabilidade das instituições mencionadas. O ICNF não se responsabiliza pela garantia do acesso. 

 

O Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) é um vasto território que se estende por mais de 69 mil hectares e é distinto nas suas diferentes paragens. Existem, pois, vários motivos de interesse para o visitar e existem também diferentes formas de o fazer.

Para visitar o Parque é aconselhável começar por uma visita às estruturas de receção de visitantes existentes ou pelo contacto com as mesmas para recolher a informação necessária, nomeadamente sobre a legislação em vigor, uma vez que se trata de uma área especialmente protegida por lei.

Recomendações

  • Proteja o Parque;
  • Respeite os valores naturais e culturais do Parque;
  • Não danifique a flora nem colha amostras de plantas, líquenes, cogumelos, rochas ou minerais;
  • Não recolha nem perturbe a fauna;
  • Evite barulhos e atitudes que perturbem o meio que o rodeia; 
  • Siga pelos trilhos e caminhos existentes;
  • Respeite a sinalização existente; 
  • Respeite a propriedade privada e o modo de vida e o trabalho das populações residentes;
  • Transporte consigo o seu lixo até poder colocá-lo num local de recolha apropriado;
  • Acampe apenas nos locais autorizados;
  • Faça os piqueniques apenas nas áreas de merenda devidamente equipadas para o efeito; 
  • Mantenha o seu cão preso pela trela;
  • Comunique ao PNPG ou à GNR/SEPNA (Linha SOS Ambiente e Território: 808 200 520)  alguma infração que presencie;
  • Respeite as indicações das entidades oficiais.
     

Cuidados

Algumas das atividades na Natureza, como é o caso do montanhismo, envolvem diversos riscos. É por isso importante agir com consciência, sobretudo quando o território é desconhecido ou quando não se domina a atividade.

Assim:

  • Tenha sempre em atenção as previsões meteorológicas e evite realizar atividades em dias em que se preveja a ocorrência de chuva, trovoadas e nevoeiros; 
  • Evite ir sozinho(a) para a montanha, mas, se o fizer, informe alguém conhecido ou alguma entidade local da sua partida e do seu regresso; 
  • Opte por vestuário e calçado simples e confortável; 
  • Previna-se com agasalhos, alimentos, água, protetor solar e/ou impermeável. Poderá munir-se também de telemóvel, lanterna e isqueiro; 
  • Tome precauções especiais quando caminha em zonas húmidas e rochosas, para evitar quedas e não pratique atos que coloquem em risco a sua segurança ou a dos outros; 
  • Tenha em atenção que em alguns locais existem minas, pelo que não deve sair dos trilhos e caminhos existentes; 
  • Caso ocorra algum acidente ou imprevisto contacte o serviço de emergência 112. Seja o mais claro e preciso que puder nas indicações sobre o local onde se encontra e sobre o que se está a passar. Caso não seja possível o contacto telefónico, mantenha a calma, coloque eventuais vítimas em segurança e protegidas do frio ou do sol e procure ajuda; 
  • Em caso de mordedura de víbora (o que só acontecerá se o espécime for diretamente molestado) deve manter-se calmo (a mordedura de víbora raramente é fatal) e evitar movimentações desnecessárias. Se a parte mordida for um membro, como é frequente, este deve ser imobilizado e deve ser limpa a parte mordida. Deverá contactar o Centro de Informação Anti-venenos (808 250 143) e deslocar-se ao hospital mais próximo logo que possível;

 

 Publicações 

 

U.A.: 2017-09-25