Você está aqui: Entrada / FLORESTAS / Fitossanidade Florestal / Programa Operacional de Sanidade Florestal

Programa Operacional de Sanidade Florestal

POSF - Programa Operacional de Sanidade Florestal. O que é o POSF. Diagnóstico genérico da situação atual em termos de proteção fitossanitária. Entidades com competência. Bases para operacionalização. Prioridades de investigação e desenvolvimento. Metas e indicadores.

fitoO Programa Operacional de Sanidade Florestal (POSF), aplicável apenas ao continente e aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 28/2014, de 7 de abril, pretende colmatar uma lacuna que há muito se fazia sentir na área da sanidade florestal, tornando disponível de uma forma sintética, o conhecimento relevante existente em Portugal relativo à Proteção Florestal e os adequados mecanismos e procedimentos de prevenção e controlo.

Este Programa apresenta um diagnóstico genérico da situação atual em termos de proteção fitossanitária, definindo as entidades com competências na implementação de medidas e ações, perspetivadas para os vários grupos de organismos nocivos e diferentes sistemas de produção florestal, estabelecendo as bases de intervenção para a redução de riscos de introdução, de dispersão e de danos.

Trata-se de um Programa, concebido por uma equipa multidisciplinar e interinstitucional de técnicos(as) e investigadores(as) da mesma área, com diferentes valências, o que espelha o caráter integrado e multidisciplinar da Proteção Florestal.

 

Consulte abaixo as sínteses dos vários capítulos:

1. Introdução

2. Objetivos estratégicos e operacionais

3. A Fitossanidade Florestal em Portugal

3.1. Aplicação do regime de proteção fitossanitária
3.2. Caraterização da atuação em termos de proteção fitossanitária
3.3. Diagnóstico ao nível dos sistemas florestais
3.4. Necessidades e prioridades de atuação

4. Entidades com responsabilidade na implementação de medidas e ações

5. Sistema de gestão de informação de sanidade florestal

5.1. Registo da informação
5.2. Sistema de alerta

6. Organismos bióticos nocivos

7. Bases para operacionalização da prevenção e controlo

8. Prioridades de investigação e desenvolvimento

9. Informação, comunicação e sensibilização

10. Mecanismos de Financiamento

11. Metas e Indicadores

U.A.: 2017-01-30

Acções do Documento