O que é

O que é
O Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal classifica as espécies de vertebrados que utilizam o território nacional (peixes dulciaquícolas e migradores, anfíbios e répteis, aves e mamíferos) em função da sua probabilidade de extinção, num dado período de tempo.

Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal - capa

 

 

 

 

 

 O Livro Vermelho permite:

    • classificar as espécies em função do seu maior ou menor risco de extinção;
    • documentar de forma consistente o conhecimento de base para proceder a essa avaliação;
    • identificar as ameaças e medidas de conservação necessárias para melhorar o estatuto das espécies ameaçadas e quase ameaçadas;
    • proporcionar às autoridades competentes, organizações não governamentais e ao público em geral, uma ferramenta prática de conservação; e
    • contribuir para o Cadastro Nacional dos Valores Naturais Classificados e Inventário da Biodiversidade.

 

Categorias e Critérios

Resultados globais (Grupos Taxonómicos)

Classificação das Espécies - síntese e legenda [PDF 47 KB]


Fichas de caracterização das Espécies - nota introdutória [PDF 47 KB]


Fatores de ameaça | Medidas de conservação

Errata da edição impressa [PDF 282 KB]


A revisão do Livro Vermelho

Os primeiros Livros Vermelhos existentes em Portugal datavam de 1990 (mamíferos, aves, répteis e anfíbios), 1991 (peixes dulciaquícolas e migradores) e 1993 (peixes marinhos e estuarinos), encontrando-se a sua informação desatualizada.

Durante a década de 90, várias entidades oficiais, incluindo o então ICN - Instituto da Conservação da Natureza, atual ICNF, instituições de investigação científica e organizações não governamentais, cuja área de atuação é a conservação da natureza, desenvolveram vários projetos de grande relevância sobre distribuição, monitorização, ecologia e comportamento de Espécies. Como resultado, o conhecimento sobre as espécies aumentou, ao mesmo tempo que ocorreram alterações nas condições ecológicas, pelo que se tornou conveniente rever e atualizar aqueles Livros.

Por outro lado, a IUCN – International Union for Conservation of Nature – estabeleceu, em 2001, novas categorias de ameaça que se basearam, pela primeira vez, num conjunto de critérios de natureza quantitativa e que pretendem avaliar os diferentes fatores que afetam o risco de extinção das espécies.

O trabalho de revisão do Livro Vermelho, que decorreu entre 2001 e 2004, incluiu os seguintes grupos taxonómicos – Peixes Dulciaquícolas e Migradores, Anfíbios, Répteis, Aves e Mamíferos.

O desenvolvimento do projeto, coordenado pelo (atual) ICNF, foi assegurado por uma comissão de editores, grupos de autores e uma rede de colaboradores. Para além de um conjunto alargado de técnicos(as) do ICNF, foram também convidados(as) especialistas de reconhecido mérito técnico e científico, no âmbito dos grupos taxonómicos abrangidos (Ficha técnica [PDF 42 KB]).