Você está aqui: Entrada / TURISMO DE NATUREZA / Visitar as Áreas Protegidas / Parques Naturais / Parque Natural do Alvão / Percurso Barragens - Barreiro - Lamas de Ôlo

Percurso Barragens - Barreiro - Lamas de Ôlo

Parque Natural do Alvão (PNAl). Percurso pedestre Barragens - Barreiro - Lamas de Ôlo. Breve descrição. Folheto.
Barragem do Alvão - AR
Barragem do Alvão (® Albertina Rosa).

Na planificação da sua visita deverá ter em consideração as recomendações descritas no Código de Conduta e Boas Práticas [PDF 1,6 MB] das e dos visitantes nas Áreas Protegidas, bem como os conselhos úteis que apresentamos em "Relacionados", à esquerda desta página, para melhor desfrutar da sua visita.

Percurso circular em caminhos de pé posto, carreteiros e troços de estrada alcatroada. 

Folheto [PDF 387 KB] do percurso

Descarregue este ficheiro para ver o percurso no google earth [KMZ 3 KB]

Acesso a partir:
- da IP4 - saída Vila Real Norte; EN2 sentido Chaves, virar para EM 312-1 em direção a Lamas de Ôlo, com passagem por Borbela, Relvas e Muas.
- de Mondim de Basto - EM 1191-1 com direção a Vila Real (pela serra do Alvão), com passagem por Bilhó, Anta e Lamas de Ôlo (EM 312-1).
Ponto de partida e chegada: a norte da barragem Cimeira no ponto de encontro do estradão com a estrada municipal EM 312-1.
Extensão: 13,5 km.
Duração: 4h:30min.
Dificuldade: média.
Apoios: parque de merendas e estacionamento de viaturas (próx. barragem Cimeira). Cafés, mercearia e telefone no Barreiro, Varzigueto e Lamas de Ôlo. Possibilidade de serviço de refeições nestas aldeias, bem como em Ermelo e Anta (aconselha-se marcação prévia). Folheto nesta página.
 

Breve descrição

Para quem gosta de longas caminhadas em contacto com a Natureza, este percurso oferece paisagens de rara beleza, permitindo o contacto com o mundo rural e um vasto património natural e cultural. Observe as barragens do Alvão, as áreas de matos, as aldeias rurais (Barreiro e Lamas de Ôlo), os campos de cultivo, os lameiros, bem como os carvalhais e pinhais.
 
Inciando-se junto às barragens, este percurso atravessa uma vasta zona planáltica onde se encontram, predominantemente, áreas baldias cobertas de urzais (Erica spp.) e carqueijais (Pterospartum tridentatum) onde rebanhos de cabras bravias encontram o seu alimento. Nas zonas mais favoráveis aparecem pequenos bosquetes de bétulas (Betula spp.), bem como matas de pinheiro-silvestre ou de casquinha (Pinus sylvestris).
 
Na zona mais baixa do percurso é possível avistar o monte Farinha com o santuário da Sra. da Graça e os cabeços da ribeira da Teixeira. Pequenos regatos cortam os caminhos precipitando as águas em campos agrícolas junto às aldeias.
 
Rumando em direção ao Barreiro é possível observar grandes massas graníticas, modeladas por ventos e intempérides, que se estendem até à aldeia.Da aldeia do Barreiro pode-se regressar a este ponto pelo caminho Barreiro-Lamas de Ôlo (aldeia característica da arquitetura granítica envolta em lameiros) ou derivar para poente rumo a Varzigueto e queda de água das Fisgas de Ermelo.

Topo