Você está aqui: Entrada / TURISMO DE NATUREZA / Visitar as Áreas Protegidas / Parques Naturais / Parque Natural do Douro Internacional / Perc. da Cascata da Faia d'Água Alta

Perc. da Cascata da Faia d'Água Alta

Parque Natural do Douro Internacional. PNDI. Percurso da cascata da Faia d'Água Alta. Breve descrição. Arribas do Douro. Cascata com cerca de 60 m de altura. Ficheiro kmz para visualização no Google Earth.
PNDI-Faia-dAgua-Alta-trilho2 PNDI - Faia d’Água Alta - aspeto do trilho PNDI - Faia d’Água Alta - ponte

 Aspetos deste percurso.

 
Na planificação da sua visita deverá ter em consideração as recomendações descritas no Código de Conduta e Boas Práticas [PDF 1,6 MB] das e dos visitantes nas Áreas Protegidas, bem como os conselhos úteis que apresentamos em "Relacionados", à esquerda desta página, para melhor desfrutar da sua visita.

Este pequeno percurso permite admirar a paisagem característica das arribas do Douro. Tem como ponto de interesse principal uma cascata com cerca de 60 metros de altura. Para poder desfrutar totalmente deste percurso é imperativo efetuá-lo durante os meses mais chuvosos do ano, ou seja, entre novembro e abril. 

Para visualizar o percurso no Google Earth descarregue este marcador [KMZ2 KB]

Acesso: a partir da povoação de Lamoso (Bemposta, Mogadouro). 
Ponto de partida e de chegada: a partir da estrada, junto às placas do PNDI indicativas do percurso, entra-se num caminho de acesso ao percurso, com cerca de 1,5 km, que também é necessário efetuar a pé. No início do percurso encontra-se um pequeno abrigo de madeira. 
Extensão: cerca de 600 m (3,5 km contando com o percurso de ida e volta desde Lamoso). Está previsto um percurso alternativo, mais longo, com ligação a Bemposta. 
Duração: cerca de 30 min para o percurso propriamente dito. Contando com o acesso (ida e volta), cerca de 2 horas. 
Dificuldade: média / elevada.
Cota máxima: 510 m. 
Apoios: abrigo de madeira, painéis informativos e corrimãos.
 

Breve descrição

A partir do início do percurso, e se caminharmos para leste (no sentido dos ponteiros do relógio), atravessamos inicialmente a ribeira de Lamoso através do pontão pedonal e cerca de 100 m mais à frente descemos em ziguezague pela encosta. Daí avistamos todo o vale da ribeira de Bemposta, com as suas vertentes cobertas de matos de giesta, zimbros Juniperus oxycedrus e azinheiras, regionalmente designadas por carrascos.  Observam-se ainda olivais tradicionais e vestígios de azenhas e moinhos.
 
Acabada a descida, encontramos a ponte sobre a ribeira de Lamoso, de onde podemos observar a vegetação ribeirinha (dominada por freixos - Fraxinus spp.), as escarpas rochosas com cerca de 60 m de altura, e a própria cascata da Faia da Água Alta (durante os períodos mais chuvosos do ano). A partir dessa ponte inicia-se a subida que encerra o circuito pedestre, no seu ponto mais elevado (a 510 m). Além das espécies vegetais já referidas, podem ainda observar-se nesta zona a cornalheira Pistacia terebinthus e o lódão-bastardo Celtis australis.
 
Quanto à fauna, encontram aqui refúgio a lontra Lutra lutra e o corço Capreolus capreolus, bem como o britango Neophron percnopterus [PDF 157 KB], o bufo-real Bubo bubo [PDF 178 KB], o grifo Gyps fulvus [PDF 184 KB] e a gralha-de-bico-vermelho Pyrrhocorax pyrrhocorax [PDF 151 KB], para referir apenas as espécies mais relevantes.

Topo