Informação Geral

Informações e conselhos úteis para visitar o Parque Natural do Douro Internacional (PNDI). Quando visitar. Pontos de interesse. Miradouros e parques de merenda. Mapa.

 
Quando visitar?
Pontos de interesse  
Mapa
 

pndi1 pndi2 pndi3

Na planificação da sua visita deverá ter em consideração as recomendações descritas no Código de Conduta e Boas Práticas [PDF 1,6 MB] das e dos visitantes nas Áreas Protegidas, bem como os conselhos úteis que apresentamos em "Relacionados", à esquerda desta página, para melhor desfrutar da sua visita.

O Parque Natural do Douro Internacional (PNDI) localiza-se numa região pouco conhecida, mas com grandes motivos de interesse, desde a paisagem ao património cultural, passando pelas aves rupícolas (que habitam em zonas rochosas) e pelas raças autóctones. Os diferentes percursos sugeridos permitem às e aos visitantes optar pelo tipo de visita que mais se adeque aos seus interesses e possibilidades.

Ficam aqui algumas sugestões para a realização de percursos pedestres e de automóvel, bem como a identificação dos locais mais emblemáticos e outros pontos de interesse, que poderá visitar de modo a que possa desfrutar o melhor possível da beleza extraordinária da paisagem, consolidar conhecimentos e divertir-se durante a visita.
 
Se optar por andar a pé, os percursos sinalizados permitem-lhe um contacto mais direto com a natureza e, simultaneamente, conhecer valores do património natural, paisagístico e cultural.
 

Antes de fazer qualquer caminhada, consulte a Área Protegida (ver contactos) para obter mais informações sobre os percursos, incluindo o seu estado de conservação.

Informa-se que o ICNF não se responsabiliza por quaisquer problemas que possam surgir no decorrer dos percursos sugeridos.

 

Quando visitar?

 
As alturas mais propícias para visitar o Douro internacional são a primavera (entre abril e junho) e o outono (entre setembro e novembro). É nessas épocas do ano que as temperaturas são mais amenas, já que, no inverno, é usual haver temperaturas negativas e, no verão, não é raro atingirem os 40º C.
 
Além disso, é na primavera que a avifauna desta região se encontra no seu auge, com a chegada das espécies que apenas passam aqui a época de nidificação, como é o caso do abutre do Egito [PDF 104 KB] Neophron percnopterus [PDF 156 KB] (também aqui chamado "Criado do cuco") e da cegonha-preta [PDF 433 KB] Ciconia nigra [PDF 150 KB], entre outras. Também os campos se revestem de cores, com a floração das giestas e do rosmaninho Lavandula spp., entre outras espécies da flora.
 
Já no outono, são as cores dos carvalhos, dos castanheiros e das vinhas que dão a esta zona um encanto particular. É também a época dos cogumelos, que assumem uma importância gastronómica crescente e que podem ser degustados nos restaurantes da região.
 
Também em fevereiro acorrem a esta região milhares de pessoas para contemplarem o espetáculo das amendoeiras em flor, que mantêm ainda uma grande expressão nos concelhos de Mogadouro e Freixo de Espada à Cinta.

Topo

Pontos de interesse

 
Apesar de ter sido criado com o objetivo principal de proteger o fenómeno geológico constituído pelo canhão formado pelos rios Douro e Águeda e a comunidade de aves rupícolas que aí nidifica, o território do Parque Natural do Douro Internacional (PNDI) possui uma enorme riqueza em termos de valores naturais, desde as espécies endémicas da flora às colónias de morcegos, desde os habitats prioritários às aranhas...
 
Com efeito, o Parque Natural dispõe de inúmeros e diversificados pontos de interesse, listando-se aqui os que melhor permitem desfrutar dos valores naturais e paisagísticos desta área protegida, para além dos percursos.
 
Sugere-se também a consulta dos sítios dos Municípios abrangidos pelo Parque Natural, que se encontram aqui.
 
Freixo de Espada à Cinta - igreja Matriz - CGV Castro S Joao das Arribas - CGV
Igreja matriz de Freixo de Espada à Cinta e Castro em São João das Arribas (® Cristina Girão Vieira).
 
Miranda do Douro - centro histórico, Museu da Terra de Miranda, passeios de barco (Europarques) e artesanato. 
Paradela – conjunto de pombais recuperados e parque de merendas.
Picote – casario tradicional recuperado, miradouro (Penha do Puio) e Ecomuseu (Associação Frauga). 
São João das Arribas (Aldeia Nova) – miradouro, parque de merendas, parque infantil, castro e moinho de água.
 
Mogadouro
Bemposta – barragem, zimbrais e passeios de barco (Naturisnor).
Juncal (Peredo de Bemposta) – parque de merendas junto ao rio Douro.
Santa Bárbara (Bemposta) – miradouro.
 
Freixo de Espada à Cinta - centro histórico e artesanato.
Carrascalinho (Fornos) – miradouro.
Colado (Mazouco) – miradouro.
Congida – praia fluvial e passeios de barco (Congida-La Barca)
Cruzinha (Lagoaça) – miradouro.
Penedo Durão (Poiares) – miradouro e parque de merendas.
 
Figueira de Castelo Rodrigo
Albufeira de Santa Maria de Aguiar (Almofala) – observatório de aves aquáticas e parque de merendas.
Alto da Sapinha (Escalhão) – miradouro e parque de merendas.
Barca d’Alva – foz do rio Águeda, cais fluvial e antiga estação de comboios.
Santo André (Almofala) – miradouro e parque de merendas.
 
 

Mapa 

Clique na imagem para ampliar [JPG 142 KB]
PNDI - mapa